DEUS É A SUA LEI

Vamos tentar compreender agora um importante princípio:  Deus É a Sua Lei.

Sabemos que no plano espiritual não há “corpo” de carne, onde apenas o que se sabe e o que se acredita pode ser considerado como “algo”.

Minha afirmação:   Sendo Deus o autor da Lei que rege o Universo e o próprio plano espiritual, sendo Ele o criador destes “ambientes”, então Ele “É” o próprio plano Espiritual e também o Universo.

Um simples exemplo para compreendermos esta questão de sermos aquilo que sabemos, cremos e criamos,  é lembrarmos de alguém que conhecemos.

Pensem em alguém, em qualquer pessoa. Ela tem um nome. A “imagem” da pessoa é uma das primeiras coisas que vem à mente, e vinculado à imagem todos os atributos desta pessoa que você percebeu e guardou pelos seus conhecimentos sobre ela e experiências colhidas com ela.

Esses atributos foram “captados” pela comunicação desta pessoa com você, ou ainda de comunicações desta pessoa com outros que lhe deram também informações sobre esta pessoa.

Percebam que tudo o que movimentou os processos de comunicação que lhe trouxeram informações sobre esta pessoa foram o que esta pessoa sabia, o que ela acreditava e portanto o que nela foi motivado a se pronunciar da forma como o fez com você e demais pessoas.

Você, na verdade, quando lembra de alguém, está lembrando, na essência e relevância da questão maior, do que esta pessoa demonstrou “saber”, “crer” e “apresentar” nos processos de comunicação.

A raiz, ou “âmago” da pessoa é o que ela sabe e o que ela acredita, que geram pensamentos e ações desta pessoa para com o mundo.

Assim, e da mesma forma, temos de ter a consciência de que Deus, o seu Nome, em si não representa nas suas letras nada além de letras.

Somos por Ele mesmo proibidos de fazer “imagens” (ou “atribuir símbolos”) do que existe entre o céu e a terra (Êxodo 20:4,5) exatamente para não confundirmos o que se sabe (conhecimento), o que se crê (Fé) com outras coisas que “representam” algo mas que não são o que representam, são “mentiras”.

Uma “imagem” por si só, é uma mentira, pois é apenas uma “expressão” da verdade.

Pensar em Deus como um “algo” que não seja todo o conhecimento possível e existente, bem como algo que não o referencial de tudo o que é verdade, tudo o que é certo, seria fazer uma imagem de Deus…. seria não saber compreender Deus.

E nossa mente infelizmente está “viciada” em atribuir “imagens” às coisas que passamos a refletir ou buscar desenvolver pensamentos. É outra característica da nossa doença natural, que uns sofrem mais do que outros, mas que todos os homens sofrem.

Esta simples mas fantástica explicação PODE AJUDAR MUITO VOCÊ. Devemos evitar “imagens” para pensarmos e concluirmos principalmente sobre as coisas de Deus.

Com isso podemos concluir um importante princípio: o que nossos pensamentos sempre que corretos e justos, não vinculados a imagens, são espirituais e sintonizados com Deus.

Uma aplicação deste princípio está em algo muito conhecido,  A ORAÇÃO.

Existem dois tipos de oração. Uma é a oração que nós dirigimos diretamente a Deus, tomando-O como uma entidade, de forma “pessoal”, com identidade própria mas sem aparência, onde apresentamos nossas “petições” (pedidos embasados em justiça e promessas já feitas nas Escrituras, visando o bem espiritual próprio, de alguém ou coletivo), sabedores que seremos atendidos (por isso o cuidado na preparação da petição por todo aquele que realmente crê).

E a outra forma é estarmos sempre com nossos pensamentos processando as Verdades de Deus. Quando o “vaso” está com o Seu conteúdo (pensamentos)  “alinhado” com a Verdade divina e “funcionando” (pensamentos fluindo), este “vaso” é glorificado em Deus, e está em “oração” sempre que olhando e pensando sobre o que lhe cerca de acordo com as Verdades de Cristo, das Escrituras (o crente “mede” o mundo pelas Verdades de Cristo). Dessa forma estamos também  “conversando” com Deus, pois nossos pensamentos “são Deus” nestes momentos.

Por isso todos “são um” em Cristo. São “um” pois compartilham o mesmo pensamento, a mesma verdade, o mesmo referencial para fixar a ponta da linha do prumo (Amós 7:8) na interpretação das coisas que lhes veem a mente ou que lhes cercam, e por isso são um em Cristo.

Sendo Cristo a Verdade, ou seja, Deus, então Cristo também está dentro dos vasos construídos e reservados por Deus para a glória, e todos estes são um nEle também…. caros, essas coisas me são muito maravilhosas… que coisa linda compreender isso!

Assim, quando falamos da Lei de Deus, estamos falando de Deus, pois a Lei é a expressão dos conhecimentos e convicções do Criador. Deus é Sua Lei também.

Se algum de vocês me conhece, ao lembrarem de mim após lerem este blog (ao menos alguns posts, espero), com certeza virá à mente de vocês uma série de coisas, mas as únicas realmente relevantes e importantes são o que eu demonstrei saber e o que acredito.

Isto os faz ter “impressões” de mim, mas impressões que no fundo, na raiz, depende do que eu mostrei saber e defendi como verdades que acredito. Assim, o “eu”  está totalmente associado ao “ser” e ao “crer”.

No plano espiritual, não há “corpo carnal” … apenas o que se sabe e o que se crê, dentro de uma “personalidade” que é energizada por um espírito cujo conjunto chamamos de “alma”, é o que existe.

A “personalidade” na verdade são características do vaso que não afetam sua função de reservar e guardar Verdades. A função de “guardar” as Verdades está preservada pela energia organizadora e motivadora do Espírito Santo de Deus, que mantem as mentes  “alimentadas” pelas verdades de Deus, indicando onde estão os ensinos e levando estas mentes até este “local” espiritual. Esse é o pastoreio de Cristo, o bom pastor.

Caros, devemos ter cuidado com as armadilhas da mente. É muito comum ela nos desviar do foco do assunto e levar-nos a pensar coisas nada haver com o tema, coisas como ataques ao pobre e miserável do “vaso”, em vez de nos ocuparmos com o conteúdo que o vaso está trazendo.

O CONTEÚDO é o que interessa. O vaso, nesse caso aqui no blog “eu”, nada significa no processo de transferência de Verdades divinas ou da sua salvação da mente que lê.

Aqui, para você leitor, eu nada devo importar. Você tem de ocupar sua mente com as coisas de Deus (conteúdo do vaso), pois é com Ele que você vai mais cedo ou mais tarde prestar contas.

Eu estou fora desta. Eu, na verdade, busco atender as ordens dEle, e aqui estou para lhe dizer o que Ele manda dizer, pois assim Ele me garante, e garante por escrito e assinado com o Sangue de um Justo, que eu receberei “galardão” (mais conhecimentos ainda) por estas iniciativas, sendo elas verdadeiras e escritas em amor e sinceridade.

Compreende a situação? Você com Deus… eu com Deus….. se os dois estiverem com um “ok” diante desta relação , então eu e você também estaremos juntos, e o que nos unirá será a concordância, a GUARDA E O USO das Verdades dEle.

Marcos 12:
30 Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento.

Como vimos, Deus é a Sua Lei. Quem não ama a Lei, não pode amar a Deus. Quem não ama a Bíblia não ama a Deus. Quem não busca conhecer a Deus no Seu Livro não ama a Deus.

Jesus Cristo sabia disto, e disse:

João 14:
21 Aquele que
tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele.

E outra vez:

23 Jesus respondeu, e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada.

Só podemos amar a Cristo/Deus se o conhecemos.

Isso é sério, muito sério.

Reflitam em toda a magnificência desta afirmação: DEUS É A SUA LEI.

Ir ao próximo post.

Anúncios