CAUSA, AGENTE E EFEITO

Ira de Deus

Essa Lei da física creio ser do conhecimento de todos. E aqui também se aplica para as questões que estamos estudando.

Quando falamos sobre o Evangelho falamos sobre DOUTRINAS. Falamos sobre ensinos que visam explicar, ensinar, corrigir, exortar, apontar enfim o caminho espiritual/ mental que devemos seguir para estarmos em paz com nossos pensamentos e motivados e enfrentar seja lá o que estiver pela frente.

A Bíblia é exatamente isso:

2Timóteo 3:
16
Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir (responder, replicar, recriminar), para corrigir, para instruir em justiça;

Portanto a Bíblia é um conjunto de doutrinas.

Mas devemos considerar que uma coisa é o “efeito” que uma doutrina (explicações sobre algo que resulta em “conhecimento”) provoca na mente de uma pessoa, e outra coisa distinta é a “doutrina”. Uma coisa é o vírus, e outra é a doença que o vírus provoca. Uma coisa é o “remédio” em si, outra é a “cura” que ele provoca em cada pessoa.

UMA COISA É O CONHECIMENTO QUE O HOMEM POSSUI E OUTRA COISA É O EFEITO DESTE CONHECIMENTO NA GERAÇÃO DA “QUALIDADE” DOS PENSAMENTOS, QUE POR SUA VEZ PROVOCAM EFEITOS NO SEU CORPO BIOLÓGICO.

Como aplicação desse princípio, tudo o que é classificado como alguma “praga” nas Escrituras deve ser compreendido como um “EFEITO” devastador de determinados conhecimentos na geração de “linhas de pensamentos destrutivos” na mente do que sofre do mal. Veremos isso em mais detalhes.

Agora vamos tentar compreender o que acontece com o homem que fica a formular linhas de pensamentos destrutivos, pensamentos ruins os quais geram tristezas, medos, desconfianças exacerbadas, etc.

O grande problema do homem está na armadilha que sua própria mente se vê obrigada a criar para escapar do efeito que a Lei de Deus (vista no próximo post) provoca em sua mente ao perceber que ele não tem capacidade de se “alinhar” naturalmente com esta Lei, de maneira a obedecê-la continuamente.

Ele não consegue ter pensamentos contínuos “fluídos” e “alinhados” com o que é estabelecido como certo e justo (não mentir, não caluniar, não falar mal dos outros, não cobiçar, não ser ganancioso, etc).

Não consegue porque tem um coração perverso, onde devemos compreender “coração” como sendo a “fonte de motivos” da pessoa, é o “órgão espiritual” que faz circular pela mente os pensamentos, é a fonte natural de motivos da pessoa vinda dos códigos já escritos no seu DNA e ativados pelas experiências de vida de cada ser humano.

Jeremias 17:
9 Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas,
e perverso; quem o conhecerá?
10 Eu, o SENHOR, esquadrinho o coração e provo os rins; e isto para dar a cada um segundo os seus caminhos e segundo o fruto das suas ações.

Quando o homem não se vê  “agraciado” por Deus (recebendo motivos corretos, discernimento gerando desejos corretos), ele entra no ciclo natural de funcionamento dado pela energização do seu espírito sobre sua personalidade, a qual é corrupta e ávida por ver seus desejos atendidos independente se estes desejos vão ou não infringir a Lei de Deus. Sem a Graça de Deus o homem perde o “crivo”, o “filtro”.

Quando erram, e conhecendo a Lei, o homem natural tende em sua mente criar uma ordenação dos seus pensamentos tal que rapidamente o justifique dentro da infração da Lei que já “percebeu” que está cometendo.

Isso o faz para que possa continuar planejando e indo atrás do seu objetivo de ver atendido seu desejo que iniciou o processo. A mente é “doente”. Ela ignora a Lei de Deus e utiliza de mecanismos de compilação dos conhecimentos para construir pensamentos que deem a ela autorização para seguir em frente.

Assim, falar mal dos outros sempre encontra uma justificativa nesta mente doente. Mentir é outra coisa muito comum e as desculpas são sempre “tenho de criar meus filhos e não posso perder o emprego”, “ou se eu falar a verdade ela se separa de mim”, ou ainda “se eu contar para meu filho ele vai sofrer, vai ser pior para ele” e a mais comum de todas as situações hoje em dia “eu não posso ser contrariado e preciso fazer valer a posição que assumi no início desta situação, por isso minto, mas é só uma mentirinha inofensiva…” …. e outras idiotisses que a mente doente cria para prosseguir com suas sandices e devaneios  em suas tolas tentativas de escapar da Lei de Deus.

Com isso muitas  vezes se inicia um processo de autodestruição, pois se o “plano” envolve outras etapas ou situações a frente que dependam das posições anteriores, a pessoa doente se vê obrigada a considerar suas frágeis desculpas nestas novas situações que se apresentam.

Assim, se veem obrigados a inventar desculpas mais complexas, e portanto mais frágeis ainda, para sustentar suas novas posições frente aos novos pensamentos ou atitudes.

Entram num ciclo tal que se não interrompido acabam por resultar no que chamamos de “psicopatas”, que vemos numa quantidade absurda por aí. Psicopatas são os que creem a própria mentira, são aqueles que se viram de tal forma envolvidos dentro da esquemática acima que mesmo em graus diferentes, não conseguem mais perceber o que foi ou é real ou não, além de não demonstrarem nenhuma reação em seus sentimentos quando diante de situações que suas mentes criam cenários irreais para autorizá-los a agir sempre no sentido de atender os seus desejos e anseios.

Estes “psicopatas” são os mais “desgraçados”, não tem “filtro ético” e quase nenhum moral, são pessoas que apresentam a soberba e arrogância predominando em suas mentes (não tem humildade no reconhecer seus erros e em pedir perdão para interromperem o processo destrutivo assim que ele se inicia).

Por tudo isso estão se autodestruindo exatamente como a Lei estabelece que seja feito, MAS AINDA SEM TODA A POTÊNCIA QUE VIRÁ QUANDO COMEÇAR INTENSAMENTE O JULGAMENTO NA VINDA DO NOSSO SENHOR JESUS.

Assim, não havendo do discernimento dado por Deus organizando por motivação correta os pensamentos do homem, este sofre a terrível punição imposta pela Lei, mas não pela Lei em si, a qual é o “agente”, mas pela incapacidade do homem em cumprir a Lei.

Estamos vivendo uma época de julgamento.

Deus está retirando de Sua Graça, ou retirando do discernimento que desde a criação distribui a toda criatura. Este efeito é terrível, pois resulta na quantidade absurda de psicopatas que se vê cada vês mais em nossos dias.

E isso tudo por um motivo profetizado nas Escrituras, visto no post anterior. O julgamento começou! E começou pela casa de Deus.

Todos os que frequentam algum grupo que ouse discutir as questões divinas dentro de turvas e desgraçadas interpretações, colocando palavras na boca de Deus que Deus não disse , todos os que ensinam mentiras estão já a alguns anos sofrendo julgamento.

A Lei de Deus (“agente”) surge e se aplica quando ocorre o pecado do homem (“causa”), e a Lei leva o homem que pecou a sofrer os efeitos deste pecado em sua mente, quais sejam “linhas de pensamentos destrutivos” (“efeito”), que levam o homem ao sofrimento e morte.

Estes “efeitos”, ou estas “linhas de pensamentos destrutivos” Deus nas Escrituras chama de “pragas”.  

 Ir para o próximo post

Anúncios